Especialista indica cuidados que donos devem ter com cães idosos.

Rações específicas e exercícios com moderação estão entre as dicas.
Segundo veterinária, cuidados desde cedo fazem pets viverem mais.

Especialista lista cuidados para tomar com os cães idosos (Foto: Jéssica Oliveira/Arquivo pessoal)
Apesar da idade avançada, o cão Zeca sai para passear toda semana
(Foto: Jéssica Oliveira/Arquivo pessoal)

Companheiros na vida dos donos, os pets precisam de cuidados especiais quando atingem uma idade mais avançada. A partir de seis anos de idade, cães de algumas raças começam a dar os primeiros sinais da velhice.

A estudante de pós-graduação Jéssica Oliveira, moradora de São José dos Campos (SP), é dona do Zeca, um cão de raça indefinida de 12 anos que foi adotado já com uma idade avançada.

“Eu sempre visitei ONGs de animais de estimação e teve um dia no ano passado que eles estavam pedindo lar temporário para um cão. Foi aí que eu adotei e acabei ficando com o Zeca. É uma sensação muito boa você adotar. Ele chegou bem assustado em casa e hoje ele confia em mim”, disse Jéssica.

Especialista lista cuidados para tomar com os cães idosos (Foto: Jéssica Oliveira/Arquivo pessoal)
O cão de raça indefinida, Zeca, de 12 anos, posa para foto na praia
(Foto: Jéssica Oliveira/Arquivo pessoal)

Por ter um cão idoso, a dona conta que tem diariamente um cuidado diferenciado ele, que inclui tratamento, medicação, visitas ao veterinário e cuidados na alimentação, como a ração especial para o cão que já perdeu parte dos dentes.

“Quando eu o adotei ele estava com insuficiência cardíaca e um pouco debilitado,  por isso tenho que levá-lo ao médico duas vezes por ano, fazer exames de sangue e todas essas coisas. Mas hoje ele está muito bem, viaja com a gente, sai para caminhar, mas é claro, tudo no ritmo dele”, contou Jéssica.

Especialista lista cuidados para tomar com os cães idosos
(Foto: Jéssica Oliveira/Arquivo pessoal)

Especialista
A veterinária Gabriela Moscoso orienta aos donos que cuidem dos cães desde a adoção, para evitar possíveis e graves doenças quando ele atingir uma idade mais avançada, que varia de acordo com a raça.

“Cuidado com os cachorros são necessários sempre, mas quando eles ficam mais idosos são iguais aos humanos, precisam de ainda mais. No dia a dia, é recomendado que os cães só comam ração comum ou de preferência a específica, que contenha vitaminas adicionais para complementação da alimentação”, afirmou.

Além da alimentação, algumas atividades devem ser evitadas de acordo com a especialista. “É importante passear com os pet, mas temos que saber as limitações deles, que não podem ficar subindo e descendo escadas, correndo, pois tudo isso contribui para dores nas articulações, artrose e artrite, que colocam em risco a saúde dos animais mais velhos” explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *